Tunico Vieira

AS ESTAÇÕES DO ANO PDF Imprimir E-mail
Artigos - Artigos
Qui, 07 de Maio de 2009 14:51

O planeta Terra, dando uma volta em torno de si mesmo, completa esse giro em 24 horas, ou seja, no tempo que nós chamamos de dia.

Mas, depois de 365 dias e mais ou menos um quarto de dia, a Terra fecha uma volta completa em torno do Sol, período conhecido como ano.

Os 365 dias de um ano não são iguais entre si porque a Terra, girando sobre si mesma uma vez a cada dia, com uma inclinação constante, em torno de um eixo imaginário que é inclinado em relação à posição do Sol, durante uma parte do ano exibe à estrela, centro do nosso sistema, mais diretamente, o seu hemisfério sul, enquanto que em outra época, é oferecido ao calor da estrela o hemisfério norte.

Temos então durante um ano, quatro situações distintas alterando a vida na Terra, as quais são chamadas de estações: duas quando parece que o Sol está passando bem pela linha do Equador, e outras duas, quando se tem a impressão de que ele se transfere para o sul ou para o norte.

Aí nós temos, então, as quatro estações do ano: primavera, verão, outono e inverno, que são opostas no que diz respeito aos hemisférios, a saber, quando é verão no hemisfério norte, é inverno no hemisfério sul.

Enquanto não exista diferença de características entre a primavera e o outono, para todos os efeitos, é digno de nota o grande contraste entre, o verão e o inverno, notadamente quanto às grandes diferenças de temperatura na superfície do planeta, mais acentuadas nos locais mais próximos dos pólos.

Sendo quatro as estações e doze os meses do ano, não há a menor dúvida de que cada estação tem a duração de três meses, e, se não existissem as variações de temperatura, é certo que a vida no solo terrestre não seria possível.

As alterações causadas na superfície do nosso planeta, trazem modificações no temperamento das pessoas, assim como no seu ânimo e em sua disposição.

Do mesmo modo, é a existência das estações que vai ditar, em favor do homem, a exata época para a plantação e colheita dos bens necessários à alimentação.

Vale considerar, por outro lado, que nas regiões mais próximas do Equador, as diferenças entre as estações não são muito destacadas.

De qualquer maneira, a importância das estações para o homem é tão grande e elas fazem parte tão íntima de sua vida que freqüentemente elas são objeto de referência e são cantadas em prosa e verso, praticamente em todas as regiões do globo. E, sempre que alguém queira mencionar as quatro estações, a ordem é esta: primavera, verão, outono e inverno.

Parece que existe uma explicação para isto, principalmente quando se comparar a vida humana com o ano terráqueo.

O ser humano tem a sua vida dividida em fases, que podem ser reduzidas a quatro, a fim de se igualar ao movimento de translação da Terra.

Em primeiro lugar, está a primavera, que vem a ser a época que vai do nascimento do homem, até o final da adolescência.

Chega, a seguir, o verão, quando o homem atinge a idade adulta, contando com a plenitude de suas energias e suas capacidades, física e intelectual.

Já no outono da vida, quando bastante coisas houver realizado, a atividade física se reduz e o homem passa a viver das boas lembranças.

Finalmente, chega o inverno, que é a proximidade do termo da existência, quando nada mais há a ser feito, a não ser esperar para a passagem à outra vida.

Não se pode deixar de reconhecer que as estações do ano, conforme vêm e passam, sugerem momentos de filosofia para o ser humano, não sendo menos verdade que qualquer um de nós, seja de que idade for, recebe com renovada alegria mais uma primavera que desponta em nossa vidas, logo depois de terminado mais um inverno.

Tunico Vieira
26/07/2002

 
Você está em: Home Artigos AS ESTAÇÕES DO ANO